Grande Curitiba

Reinvenção das cidades é desafio ante às mudanças climáticas

3 de novembro de 2021 às 16:13
(Foto: Divulgação)

COM ASSESSORIAS – No lançamento do Climate Smart Cities Challenge (Desafio Climático das Cidades Inteligentes), nesta quarta-feira (3/11), na Expo Dubai 2020 (2021), a diretora executiva do Programa da ONU para Assentamentos Humanos das Nações Unidas (UN-Habitat), Maimunah Mohd Sharif, destacou o compromisso de Curitiba e de outras três cidades concorrentes com projetos inovadores para a sustentabilidade urbana.

Com a capital paranaense participam do desafio as cidades de Bogotá (Colômbia), Bristol (Reino Unido) e Makindye Ssabagabo (Uganda).

“Temos a proposta da redução de emissões em Bogotá; da criação de áreas livres de carbono em Curitiba; a implantação de construções verdes em Makindye; e a criação de novos modelos de financiamento para moradias verdes e acessíveis em Bristol. Acompanharei esse desafio com grande interesse e ansiosa para ver soluções para o clima emergirem desse processo”, completou a diretora executiva da UN-Habitat.

A mensagem de Maimunah foi enviada por vídeo a partir de Glasgow, Escócia, onde ela participa da Conferência da Cúpula do Clima (Cop-26). Segundo a diretora, as quatro cidades estão completamente comprometidas na redução dos impactos climáticos e abertas a trabalhar com parceiros inovadores para enfrentar esses desafios.

Em vídeo apresentado na Expo Dubai, no lançamento oficial do Climate Smart Cities Challenge, o prefeito Rafael Greca reforçou o compromisso da cidade em zerar as emissões de carbono até 2050, conforme preconiza o Plano de Ação Climática de Curitiba (PlanClima).

“O desafio está lançado. Contamos com o suporte de ideias inovadoras na implementação de políticas públicas para um mundo sustentável”, pontuou Greca.

O desafio é promovido pela UN-Habitat em parceria com o Viable Cities (programa sueco de inovação estratégica com foco na transição para cidades sustentáveis e neutras para o clima), Teknik företagen Vinnova, a Agência Sueca de Energia, Smart City Sweden e Business Sweden.

Cidades e soluções

Maimunah Mohd Sharif ressaltou que as mudanças climáticas têm sido visíveis ao mundo, com eventos extremos como incêndios florestais e desastres naturais. Para ela, as cidades são o coração dos desafios que o mundo enfrenta

“As cidades são as responsáveis por cerca de 70% das emissões de gases do efeito estufa, mas também são a chave para as soluções. Se conduzirmos bem as nossas cidades, vamos reduzir as emissões globalmente e teremos uma melhor chance para a consolidação de um futuro sustentável que tanto almejamos”, disse Maimunah.

A diretora destacou o Climate Smart Cities Challenge como uma competição de inovação aberta, baseada na cidade, um convite a novas tecnologias, empresas e investidores a desenvolver, testar e dimensionar soluções inteligentes para o clima. “Nossa ambição é identificar centenas de soluções que poderão ajudar as cidades a ser inteligentes para o clima. Meu time, no departamento de inovação da UN-Habitat, tem trabalhado nos últimos nove meses com as cidades na busca de um entendimento profundo do desafio climático que eles enfrentam”, disse.

Proposta de Curitiba

Curitiba foi selecionada a participar do certame mundial com a proposta de aplicar um modelo de zero emissão de CO2 com a promoção do desenvolvimento socioambiental na região do Vale do Pinhão (Rebouças e entorno). Com a capital paranaense participam do desafio as cidades de Bogotá (Colômbia), com projeto para a redução de emissões na área do transporte de cargas e logística; Bristol (Reino Unido), com a proposta da busca de novas fontes de financiamento para habitação verde e acessível; e Makindye Ssabagabo (Uganda), com projeto focado em processos construtivos de edifícios verdes.

Na proposta de Curitiba também está a dinamização de projetos já em curso pela Prefeitura nas áreas de mobilidade, eficiência energética e gestão de resíduos. A ideia é que haja sinergia com ações projetadas para as áreas de segurança alimentar, integrando o Mercado Municipal, o Restaurante Popular, o Armazém da Família e o Espaço Social do Capanema; de atenção à população em situação de risco, como o Mesa Solidária e o novo albergue, na futura Praça Solidária, no entorno do estádio Durival Britto e Silva; e ainda a recuperação ambiental do Rio Belém em toda a sua extensão.

Também falaram no evento de lançamento, Olga Kordas, diretora do Programa Viable Cities; Klas Wahlberg, diretor geral da Teknikföretagen; Priscila Negreiros; diretora da Cities Climate Finance Leadership Alliance; e Tommy Mikelsen, diretor de Structured Finance The Swedish Export Credit Corporation.