Grande Curitiba

Estudantes da escolas São Miguel e Albert Schweitzer aprendem a bordar e a reaproveitar alimentos

21 de junho de 2022 às 12:44
(Foto: Levy Ferreira/SMCS)

COM ASSESSORIAS – Ponto-cruz no bordado e salgadinhos com talos e cascas de couve, brócolis e beterraba. Esta segunda-feira (20/6) foi dia de “Mãos na Massa: economia doméstica para os estudantes da rede municipal de ensino” nas escolas municipais São Miguel e Albert Schweitzer, ambas na CIC.

Para a estreia do ateliê e da cozinha, a escola São Miguel recebeu investimentos de mais de R$ 50 mil, tanto no projeto Mãos na Massa quanto na infraestrutura para gás.

A estudante Yasmin da Silva, do 7º ano, colocou a mão na massa na cozinha, mas não resistiu e foi acompanhar um pouco do bordado. “Eu não faço, mas minha mãe faz, é muito bonito”, comentou Yasmin.

A professora Poliana Oliveira da Silva explicou que o bordado tem um contexto em sala de aula. “Trouxe a técnica básica do ponto-cruz porque eles estão começando, mas aliamos matemática, raciocínio e muita concentração neste trabalho”, disse a professora.

“O Mãos na Massa veio como iniciativa interdisciplinar para nossas unidades. A sustentabilidade começa em nós, com nossa relação com as pessoas, com o ambiente, seja reaproveitamento cascas de alguns ingredientes na cozinha ou produzindo uma sacola ecológica”, comentou a secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila.

As atividades foram realizadas de maneira simultânea entre as escolas São Miguel e Albert Schweitzer, com transmissão via Google Meet.

Ateliês e cozinhas

O Mãos na Massa começou em 2021 pelos estudantes das 11 escolas municipais do 6º ao 9º ano. Devido à pandemia da covid-19, foi veiculado pelas videoaulas da TV Escola Curitiba.

O investimento foi de R$ 37,3 mil por unidade, em média, para viabilizar os espaços maker (faça você mesmo) com propostas de vivências do cotidiano e atividades manuais, que envolvem culinária e costura, de maneira articulada com conteúdos curriculares, como matemática e ciências.

Os cadernos pedagógicos do projeto foram elaborados pela equipe técnica da Educação. O intercâmbio que os profissionais da rede fizeram na Finlândia, em 2019, ajudou a formatar o projeto.

Nas escolas finlandesas, eles têm cozinhas e ateliês de costura equipados.

Presenças

Estiveram nos ateliês a superintendente de Gestão Educacional, Andressa Pereira; o superintendente Executivo, Oséias Santos de Oliveira; a diretora do Departamento de Ensino Fundamental, Simone Zampier; a chefe do Núcleo Regional da Educação da CIC, Ângela Piotto; a gerente de Alimentação, Maria Rosi Galvão; diretores e professores das escolas.