Grande Curitiba

Crianças ajudam a recompor mata ciliar do Belém no Parque Náutico

25 de novembro de 2022 às 12:00
(Foto: José Fernando Ogura/SMCS)

COM ASSESSORIAS – Sob um céu tipicamente curitibano, um grupo de estudantes de 5º ano da Escola Municipal Professor Germano Paciornik homenageou o Dia do Rio, celebrado nesta quinta-feira (24/11), plantando árvores frutíferas em um trecho da margem direita do Belém. A atividade aconteceu dentro do Parque Náutico, no Boqueirão.

O objetivo da ação é, aos poucos, ajudar a recompor a mata ciliar dos cerca de 1.100 metros do rio que passam dentro do espaço verde com cerejeiras gaúchas, uvaias, pitangueiras, ariticuns, gabirobas e guabijus, além de espécies ornamentais. O curso de água também passa por obras de macrodrenagem, realizadas pela Prefeitura, para prevenir o assoreamento do curso do rio.

“As crianças estão aprendendo desde muito cedo que, além de melhorar a permeabilidade do solo e proteger o rio da erosão, as árvores vão atrair animais que se alimentarão delas e espalharão suas sementes, dando origem a mais árvores”, explicou a bióloga Andréa Gimenez, da Gerência de Educação Ambiental da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMMA), uma das entidades envolvidas na ação.

Conexão com o verde

Empolgadas, as crianças gostaram da atividade proposta. “Posso plantar mais uma?”, perguntavam à professora Adriana Oliveira, que ajudava a organizar o grupo.

Entre elas estava Ryan Guilherme Pinheiro Seguro, que já conhece o prazer de ter árvores por perto. Responsável por plantar uma muda de uvaia no parque, ele lembrou do limoeiro de casa, de onde já colheu frutos para muitas limonadas. “É gostoso ver o limão e, depois, ir lá tirar”, contou.

A colega Samanta Cristina de Oliveira Quevedo já ajudou a plantar árvores, flores e folhagens em frente de casa. “Meus pais amam plantas e passaram esse amor pra mim”, explicou a menina, que também sabe a importância da vegetação para a vida das cidades e dos rios. “A cidade não alaga, os pássaros e os insetos têm onde comer e a gente, mais ar puro”, explicou.

Semeando

Parte do interesse das crianças se deveu à motivação feita, na escola, por técnicos do projeto de educação ambiental Amigo dos Rios. Na quarta-feira (23/11), eles foram até lá para falar da importância da atividade e mostrar alguns exemplares, conservados, de animais que podem se beneficiar das novas árvores. Tapirucu-de-cara-pelada, ratão-do-banhado, coruja-buraqueira e serelepe são alguns deles.

A Administração Regional coordenou a atividade, que terminou sob uma garoa leve e com a distribuição dos gibis de educação ambiental do Curitibinha – o personagem que desperta nas crianças o orgulho de conhecer, proteger e valorizar a cidade. “Quando voltarem ao parque, lembrem que essas árvores também são de vocês e estão aqui por causa de vocês”, observou o administrador regional, Ricardo Dias, que participou do plantio.