Grande Curitiba

Ação de promoção à Saúde da Mulher marca encerramento do Outubro Rosa

29 de outubro de 2021 às 11:17
(Foto: Divulgação/PMFRG)

COM ASSESSORIAS – A Prefeitura de Fazenda Rio Grande por meio da Secretaria de Saúde (Departamento de Vigilância Epidemiológica), realizou nesta quarta -feira (27), das 13h30min às 16h, uma ação de promoção à saúde da mulher.

A ação aconteceu no pátio da prefeitura com testagens contra Sífilis, HIV e Hepatites e orientações às mulheres sobre a importância da prevenção das infecções sexualmente transmissíveis. Foram realizados 148 testes rápidos, que tem o resultado disponível em poucos minutos e faz parte do programa de vigilância das doenças transmissíveis da Secretaria de Saúde.

O prefeito Dr. Nassib Hammad esteve presente, junto à secretária de Saúde Talita de Lima, que assumiu a pasta no último dia 21.

A Secretária de Saúde, chamou a atenção da população feminina para a prevenção.

“A prevenção é sempre a melhor opção no cuidado com a saúde. Sabemos que a rotina das mulheres é agitada e, muitas vezes, elas acabam por cuidar de toda família e deixando a sua saúde para depois, mas é preciso que tirem um tempo para os exames de prevenção. As testagem contra as infecções sexualmente transmissíveis são disponibilizadas em todas as Unidades de Atenção Básica do município,” afirmou.

A diretora de Vigilância em Saúde Nelcelí Garcia, explicou sobre a importância do diagnóstico precoce .

“Quanto mais cedo o diagnóstico, maior será a eficácia do tratamento, pois, dado o início do tratamento, a carga viral já começa a diminuir, evitando agravamentos causados por estas doenças.

Estatísticas da UNAIDS Brasil demonstram que, em 2020, 1,5 milhões de pessoas foram infectadas por HIV e 690 mil pessoas morreram de doenças relacionadas à AIDS em 2020.

A diretora afirma ressalta ainda que todas as pessoas sexualmente ativas devem realizar o teste para o diagnostico destas doenças. “A sífilis congênita por exemplo, pode causar aborto, má formação do feto e/ou morte ao nascer. Por isso, principalmente as gestantes devem realizar o teste, “orientou.

Finalizou, orientando sobre a hepatites B, explicando que, se não for curada em seis meses, pode se tornar crônica e causar danos mais graves ao fígado, como cirrose ou câncer, e que os tratamento são gratuitos e fornecidos pelo SUS, sendo diferente para cada pessoa, de acordo com os sintomas e o estágio da doença.