Grande Curitiba

Deputada Mabel Canto pede que Governo do Estado mantenha o Pronto Atendimento das Crianças no Humai

"Eu quero pedir que Governo do Estado seja o Pai que as nossas crianças de Ponta Grossa estão precisando, porque infelizmente, a mãe não está dando conta", disse Mabel Canto na sessão desta segunda-feira.
30 de agosto de 2021 às 17:58
(Foto: Divulgação)

COM ASSESSORIAS – A deputada Mabel Canto (PSC) utilizou a Tribuna nesta segunda-feira (30) para reivindicar ao Governo do Estado e ao Município de Ponta Grossa, a manutenção do serviço de Pronto Atendimento Infantil (PAI) nas dependências do Hospital Universitário Materno Infantil da Universidade Estadual de Ponta Grossa – HUMAI/UEPG. A cobrança também foi formalizada através de um expediente encaminhado ao Secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Segundo notícias publicadas pela imprensa em Ponta Grossa na última semana, o pronto-atendimento materno-infantil (PAI) realizado pelo HUMAI/UEPG irá ser deslocado para a UPA Santa Paula e UPA Santana. Nesta última, há relatos de populares que chegam a aguardar mais de dez horas para serem atendidos.

“Querem levar o atendimento do PAI para serem realizados nas Upas de Ponta Grossa. Uma que atende ainda casos Covid-19 e a outra, praticamente inaugurada às pressas, e que tem apresentado problemas e denúncias diárias da população. As pessoas chegam a aguardar oito, nove, dez horas para serem atendidas na Upa, mesmo assim, querem tirar as nossas crianças de um ambiente que é só delas para levarem às Upas que já estão lotadas e que tem atendimento falho. O Pronto Atendimento Infantil precisa continuar onde é o Hospital das Nossas Crianças”.

A parlamentar recorda que a Lei Municipal n. 13.983/2021, que autorizou ao município de Ponta Grossa a doar o imóvel do então Hospital da Criança Prefeito João Vargas de Oliveira à Universidade Estadual de Ponta Grossa, proíbe a diminuição de serviços prestados pelo HUMAI/UEPG.

Segundo a deputada, não há previsão ou permissão legal para que qualquer serviço atualmente prestado no HUMAI seja diminuído, sob pena de revogação da doação do imóvel realizada em benefício da Instituição.

“Em agosto de 2020, o Governador Ratinho Junior firmou pessoalmente o compromisso de que os serviços prestados no Hospital da Criança permaneceriam no HUMAI/UEPG, falando sobre a integração de ambos os hospitais. Na oportunidade ele disse: Precisamos preservar as crianças para que elas tenham um ambiente só delas, para a mãe ter segurança quando for trazer o seu filho. Mas agora, querem tirar das nossas crianças o Pronto Atendimento Infantil do Hospital Materno Infantil. Vejam que contraditório!”, disse Mabel Canto na Tribuna.

Em seu expediente, a parlamentar ponta-grossense ainda lembra que a estrutura física onde é prestado o pronto-atendimento materno infantil só foi viabilizada, em grande parte, pelo trabalho de empresários e da Associação Amigos do Hospital da Criança (AAHC).

“Eu quero pedir que o Governo do Estado seja o Pai que as nossas crianças estão precisando, porque infelizmente, a mãe lá, não está dando conta!”, concluiu a parlamentar.