Grande Curitiba

Com atendimento humanizado, Hospital do Bairro Novo recebe crianças com sintomas respiratórios

3 de junho de 2022 às 15:27
(Foto: Divulgação)

COM ASSESSORIAS – O Hospital Municipal do Bairro Novo, no Sítio Cercado, completou nesta quinta-feira (2/6) os primeiros 30 dias como unidade de retaguarda pediátrica. Neste período, 222 crianças com doenças respiratórias foram atendidas, o que tornou necessário ampliar a capacidade de dez para 31 leitos.

No total, 190 pacientes receberam alta; houve sete transferências; e 25 pacientes permanecem internados. A reorganização do atendimento faz parte da estratégia da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) para enfrentar o aumento de casos desde a onda de frio iniciada em abril.

“Estamos constantemente monitorando a necessidade dos curitibanos e promovendo adequações no sistema para melhor atender à demanda”, afirma a secretária municipal da Saúde, Beatriz Battistela Nadas.

Mudança

Em março de 2020, no início da pandemia, a unidade passou a receber pacientes adultos de baixa complexidade sem suspeita de covid-19, o que liberava leitos nos hospitais para atendimento de casos suspeitos ou confirmados de coronavírus. Com o avanço de doenças respiratórias em crianças, foi preciso ajustar a rede à nova realidade.

A mudança no perfil do paciente internado exigiu repensar todo o atendimento. “As equipes abraçaram o desafio e se empenharam em adaptar as rotinas”, explica o diretor técnico do hospital, Altair Rossato.

Os profissionais passaram por capacitações e a unidade teve o quadro de profissionais ampliado, com a contratação de pediatras. Também foi feita a ampliação do horário dos exames de raio-x e da aquisição de materiais hospitalares específicos para atendimento infantil.

O Hospital Municipal do Bairro Novo é administrado pela Fundação Estatal de Atenção à Saúde (Feas), da Prefeitura de Curitiba, e vinculada à SMS. “A equipe é resiliente, comprometida e se ajusta rapidamente às necessidades da população”, define a diretora de Atenção à Saúde da Feas, Tatiane Filipak.

Humanização

As gêmeas Heloisa e Heloá Soares, que tiveram pneumonia e crise de asma, foram internadas juntas e passaram o aniversário de três anos no hospital, com direito a festinha organizada pela equipe. O atendimento humanizado surpreendeu a mãe das meninas, Uerica Soares, antes preocupada em poder ficar próxima das duas filhas.

Segundo ela, a sensibilidade e o carinho da equipe ficaram evidentes em detalhes do internamento, como a preocupação em colocá-las no mesmo quarto e preparar a surpresa no dia do aniversário. “O atendimento foi ótimo: profissionais competentes e carinhosos com as crianças”, relata Uerica.

“Passar o aniversário das minhas filhas no hospital não foi fácil, mas elas estavam muito felizes nesse dia tão especial. Foi uma surpresa terem tirado um tempinho para cantar parabéns e preparar um bolinho para elas”, relembra Uerica.

Outra menina que conquistou o coração da equipe foi Ellen Vitória Maciel de Morais, que também comemorou seu aniversário de três anos com festinha improvisada no hospital. Internada por bronquite aguda e em recuperação, ela deve ganhar alta neste fim de semana.

Além da equipe médica e de enfermagem, o hospital conta com profissionais de fisioterapia, nutrição, fonoaudiologia, serviço social e farmácia.