Grande Curitiba

“Precisamos colocar os temas de saúde mental na roda”, afirma psicóloga na Sipat 2022

9 de novembro de 2022 às 12:03
(Foto: Hully Paiva/SMCS)

COM ASSESSORIAS – Em dois dias de atividades da Semana Interna de Prevenção de Acidentes da Prefeitura de Curitiba em 2022 (Sipat), cerca de 200 servidores puderam refletir sobre diferentes aspectos voltados à saúde mental, tema central da edição deste ano.

Nesta terça-feira (8/11), no auditório da Rua da Cidadania do Pinheirinho, a psicóloga e coordenadora do Centro de Atenção Psicossocial (Caps) Pinheirinho, Vânia Henrique, e a terapeuta ocupacional Paula Magnussen Nunes, também do Caps, conduziram parte do debate.

Vânia Henrique destacou a importância da abordagem de saúde mental durante a Sipat. “Precisamos colocar os temas de saúde mental na roda porque estas são questões do ser humano. Quando existe uma disfunção, isso causa sofrimento”, afirma.

Aos participantes da Sipat na Regional Pinheirinho, a psicóloga enumerou alguns sinais de alerta que podem indicar sofrimento psíquico, como isolamento social, alterações do padrão alimentar ou de sono, alterações de comportamento, dentre outros. Ela recomendou ainda levar em conta a percepção de pessoas próximas que possam perceber diferenças.

Segundo as profissionais do Caps, dentre as dez principais doenças incapacitantes, cinco são psiquiátricas. Dentre elas estão a depressão, a ansiedade e a dependência de álcool.

No bate-papo com os servidores, Paula Nunes demonstrou que alguns sofrimentos podem resultar em adoecimento e, ao definir saúde mental, ressaltou que bem-estar é algo subjetivo. Ela falou da importância de cada um conseguir enfrentar as dificuldades da vida, conseguir trabalhar de forma produtiva e estar ciente das suas habilidades.

Uma das recomendações foi a construção permanente do que ela chamou de “reserva de saúde mental”, ou seja, cada um buscar atividades ou momentos que lhes tragam bem-estar. “Podem ser pausas no dia a dia, atividade física, coisas que deem prazer, alegria”, exemplificou.

Frustrações

O guarda municipal José Carlos Lopes, servidor de carreira há 30 anos, considerou importantes as reflexões propostas na Sipat.

“A gente vive momentos turbulentos. Recentemente tivemos a pandemia, vemos desemprego e mais recentemente as eleições, muitas coisas que resultaram em frustrações e mexeram com o lado psíquico das pessoas. Importante a gente parar para pensar em como lidar”, observou o experiente profissional.

Marilda Gaspar Pinto, que atualmente trabalha na Fundação Cultural de Curitiba na Regional Pinheirinho, também aprovou a abordagem da Sipat. “A gente está sempre aprendendo. Aqui, temos a oportunidade de estar com servidores de outras secretarias. E havia informações que eu nem sabia sobre os Caps”, comentou.

Emoções

Os professores e consultores Raphael Lobo e Edson Herek falaram de ambientes tóxicos, do contágio causado por emoções negativas e positivas. Lobo destacou a importância do autoconhecimento, ressaltou que este é um processo que passa pelo conceito que cada um tem de si mesmo.

No Pinheirinho, a abertura da Sipat teve a participação de três integrantes da Banda Lyra, que interpretaram canções de música popular – Egon Diego (pandeiro), Vinicius Chamorro (violão) e Jader Corrêa (trombone).

Outras regionais

Além da Regional Pinheirinho, a Sipat 2022 já foi realizada nas regionais Boqueirão, CIC e Boa Vista. Nesta quarta-feira (9/11) será a vez das regionais Bairro Novo e Portão. Na quinta-feira (10/11), regionais Matriz e Tatuquara. E na sexta-feira (11/11), último dia da Sipat, Santa Felicidade e Cajuru.

A Sipat descentralizada facilita os deslocamentos dos servidores. Mas caso alguém queira participar da atividade em outra regional, basta fazer a sua inscrição pelo Portal Aprendere.

A programação foi elaborada pelo Departamento de Saúde Ocupacional da Secretaria de Administração, Gestão de Pessoal e Tecnologia da Informação (Smap) e teve a parceria da Secretaria da Saúde (SMS).