Grande Curitiba

Criança tem parte do dedo arrancada em brinquedo de lanchonete em Ponta Grossa

Menino de seis anos, segundo família, passou por cirurgia para recolocar dedo e se recupera em casa. Caso aconteceu em Ponta Grossa. Gerente visitou menino no hospital
16 de novembro de 2021 às 09:05

Uma criança de seis anos teve parte do dedo arrancada em um brinquedo de uma lanchonete dentro de um shopping de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná. Segundo a família, o menino se feriu quando saiu da cadeira do equipamento e tentou colocar o dedo na parte de baixo, onde fica o motor.

“O brinquedo era um carrossel infantil. Como criança é curiosa, ele saiu da cadeirinha e ficou em cima do brinquedo girando. Ele deitou e olhou por baixo do brinquedo e era exposto, onde tinham as engrenagens ou as polias, eu vi que ele olhou e colocou a mão para tentar segurar. Teria que ser fechado até embaixo no chão, não poderia ter lugar exposto”, afirmou o pai da criança.

O caso aconteceu na sexta-feira (12).

O menino foi levado pela família a um hospital da cidade. Ele passou por uma cirurgia para recolocação do dedo.

De acordo com os pais, o médico irá avaliar nesta terça (16) se o procedimento funcionou ou se será necessário amputar o dedo. A criança está bem e se recupera em casa.

“A intenção do brinquedo seria.. os pais vão comer, enquanto isso as crianças ficam se divertindo. O certo seria ter uma proteção. Estava demorando o Samu, o socorro, meu marido decidiu por ele levar meu filho porque tem convênio. Aí eu até pedi para o bombeiro do shopping ir junto, mas não quiseram, que não poderiam. Meu marido foi, passou em sinal vermelho, passou em canteiro”, contou a mãe.

O gerente da lanchonete visitou a criança no hospital e ofereceu ajuda à família, segundo os pais.

O g1 tenta contato com a lanchonete, mas não houve retorno até a publicação desta reportagem.

Por meio de nota, o shopping onde fica a lanchonete lamentou o ocorrido e informou que os primeiros socorros foram prestados à criança.

Disse, ainda, que irá notificar o setor de operações para averiguar a situação e avaliar a permanência ou não do brinquedo.

Fonte: G1