Grande Curitiba

Empresas se unem para doar 3,4 milhões de medicamentos para intubação para o Brasil

Ação solidária emergencial já começou a importar insumos da China para fazer frente ao aumento de pacientes com COVID-19
9 de abril de 2021 às 12:18
(Foto: Reprodução)

COM ASSESSORIAS – Diante do recrudescimento da pandemia da Covid-19 no Brasil e da consequente escassez de insumos para o atendimento a pacientes em UTIs, um grupo de empresas se uniu para a doação ao Ministério da Saúde de 3,4 milhões de medicamentos para intubação, quantidade suficiente para a gestão de 500 leitos pelo período de um mês e meio. Esta ação solidária, em caráter emergencial, conta com o engajamento e apoio da Engie, Itaú Unibanco, Klabin, Petrobras e Raízen, além da Vale, que deu início a esta ação há 2 semanas.

O pool de empresas, liderado pelos seus presidentes, já se mobilizou e começou os trâmites para importar da China sedativos, neurobloqueadores musculares e analgésicos opioides – insumos básicos para realizar a intubação. A chegada do primeiro lote está prevista para a próxima semana, a partir do dia 15 de abril. Os itens são certificados pela Anvisa, além da agência chinesa, e serão integralmente doados ao governo federal, que cuidará também da distribuição pelos Estados por meio do SUS-Sistema Único de Saúde.

“Seguimos acompanhando atentamente o agravamento da pandemia no Brasil e entendemos que é urgente uma nova mobilização das empresas, agora para apoiar o governo federal na recomposição de insumos para UTIs. É importante destacar que essa ação só tem essa força porque conta com adesão de empresas de diversos setores. O momento pede união e esperamos contribuir para o sistema de saúde em todo território brasileiro”, afirma Eduardo Bartolomeo, presidente da Vale.

“Desde o início da pandemia, a ENGIE não tem medido esforços para apoiar as necessidades das comunidades no entorno de nossas usinas e gasodutos, além de contribuir com hospitais e laboratórios, como a Fiocruz, e iniciativas com doação de recursos dos nossos colaboradores, para que mais pessoas possam ser alimentadas, testadas, tratadas e vacinadas. Essa nova ação, liderada pela Vale, nos permite ampliar nossa contribuição”, comenta o CEO da ENGIE Brasil, Mauricio Bähr.

“Por meio do Todos pela Saúde, temos apoiado o sistema público de saúde e a sociedade no enfrentamento da Covid-19 desde o início da crise sanitária no Brasil. O momento ainda é muito crítico, e iniciativas como esta para garantir o atendimento a quem mais precisa são fundamentais para que vidas sejam salvas. Mais do que um ato de solidariedade, vemos a mobilização do setor privado como um importante compromisso das empresas com o País”, afirma Milton Maluhy Filho, presidente do Itaú Unibanco.

“As iniciativas da Klabin para apoiar no combate à pandemia são voltadas para as áreas de saúde, assistência social e geração de renda para pessoas em situação vulnerável. Somos uma empresa cidadã, acreditamos que cada atitude conta e que a ajuda do setor privado é fundamental para auxiliar nesse momento tão desafiador. Seguiremos direcionando os nossos esforços em prol da sociedade brasileira com mais essa ação solidária de apoio à rede pública de saúde”, destaca Cristiano Teixeira, diretor-geral da Klabin.

“A Petrobras permanece empenhada em ajudar a sociedade brasileira contra os efeitos devastadores da pandemia. Acreditamos ser fundamental unir esforços para salvar vidas, não podemos ficar inertes diante do sofrimento imposto pela Covid-19“, afirma Roberto Castello Branco, presidente da Petrobras.

“Estamos mobilizados desde o início da pandemia em uma verdadeira rede de solidariedade – desde a produção e doação massiva do tão essencial álcool 70, até parcerias com esta, que somam esforços e competências a serviço da sociedade e do País. Afinal, cada vida salva é uma vitória coletiva”, enfatiza Ricardo Mussa, CEO da Raízen.