Grande Curitiba

3 motivos para incluir o modelo de licenciamento no plano de negócios

18 de junho de 2022 às 11:00

COM ASSESSORIAS – Inovação: esta é a palavra que norteia a mentalidade dos gestores que procuram manter as suas empresas atualizadas em meio às constantes mudanças do mercado, principalmente nesses últimos anos, em que a necessidade de transformações dos negócios permaneceram ainda mais em evidência. Diante desse contexto, um mindset inovador para o ambiente corporativo, mas ainda pouco explorado, é o modelo de licenciamento.

“A iniciativa é um processo no qual o detentor de uma propriedade intelectual como uma marca, por exemplo, cede o direito de seu uso em um produto ou serviço a terceiros em troca de uma remuneração variável ou uma taxa fixa acordada entre as partes. Na prática, uma licença pode ser concedida por uma empresa a um empreendedor que deseja gerenciar um negócio próprio que já está estabelecido no mercado”, diz Gustavo Almeida, CEO da Take.

A Take é a primeira startup a atuar com identificação por inteligência artificial (IA) na operação de vending cooler de bebidas alcoólicas e não alcoólicas disponível 24 horas por dia em complexos residenciais ou comerciais e que, portanto, não necessita de um intermediário no momento da compra. Desde o início, a empresa enxerga resultados de expansão por meio do licenciamento. “Até o momento, contamos com 250 licenciados em todo o território nacional, mas a pretensão é atingir 1.000 em dezembro”, revela Almeida.

Pensando em esclarecer os benefícios do licenciamento para as organizações, o CEO listou os três motivos para incluir essa iniciativa no plano de negócios. Confira abaixo:

1. Oportunidade de mercado

O modelo de licenciamento não precisa ser o core business do negócio, mas é uma oportunidade de ampliar a atuação no mercado a partir da cobrança de taxas e royalties pelo direito de uso da marca.

2. Abrangência

Em uma relação de licenciamento, a empresa se responsabiliza por treinar e certificar os licenciados, que irão direcionar os novos aprendizados para a operação de todo o negócio. Com esse sistema, a marca é capaz de ampliar a abrangência a partir de um investimento reduzido, já que não é necessário ter um grande volume de capital para conquistar e atrair novos clientes. Esse processo é a consequência da parceria entre os empreendedores.

3. Insights

Como resultado do aumento da abrangência da marca, há uma maior facilidade da empresa em explorar diferentes segmentos, localidades e perfis de consumidores, o que pode contribuir para insights poderosos para o aprimoramento dos negócios.

Take

É uma startup que une hiper conveniência ao disponibilizar uma smart vending cooler, como são conhecidas as geladeiras que comportam até 210 garrafas long neck e 70 latas de cervejas, em condomínios, clubes e estabelecimentos que possua cobertura de sinal 3G/4G, já que vem com o modem 4G instalado. É também o primeiro modelo no Brasil a operar com inteligência artificial que, por meio de reconhecimento por imagem, identifica qual bebida está sendo retirada e é automaticamente debitada do cartão de crédito cadastrado no app. Atualmente está presente em 26 estados com mais de 1.500 pontos de vendas.