Grande Curitiba

Saúde alerta para a importância da vacinação contra a febre amarela

Crianças e adultos de até 59 anos devem se vacinar contra a doença para evitar os casos graves e mortes
11 de outubro de 2022 às 15:56
(Foto:Carlos Poly)

COM ASSESSORIAS – A febre amarela é uma doença viral aguda transmitida a humanos e a macacos por meio da picada de mosquitos infectados e não há transmissão direta de pessoa a pessoa ou de macacos para pessoas. Nos humanos a doença possui rápida evolução, com cerca de 10% dos casos, evoluindo para formas graves com icterícia (amarelão da pele), dor abdominal intensa, sangramentos em sistema digestivo (vômitos ou fezes com sangue), pele ou urina e falência renal.

A vacina contra a febre amarela é segura e considerada a medida mais eficaz para evitar casos graves e mortes pela doença. Por isso a importância de seguir as recomendações do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da saúde que preconiza o seguinte: crianças ao completarem 9 meses devem receber 1 dose; crianças, ao completarem 4 anos, devem receber 1 dose de reforço; pessoas de 5 a 59 anos de idade, não vacinadas ou sem comprovante de vacinação, devem receber 1 dose.

A vacina está disponível gratuitamente, durante todo o ano, em todas as unidades de saúde no município. Depois de imunizada a pessoa estará protegida por toda vida.

A doença

É importante ressaltar que os macacos não transmitem a febre amarela para o homem. Assim como os humanos eles são infectados pelos mosquitos e acabam adoecendo da mesma forma. Portanto, se você identificar macacos doentes ou mortos na região onde vive ou está informe ao serviço de controle de zoonoses pelo telefone (41) 3614.7767. Macacos mortos são analisados em exames específicos para detectar se a causa morte foi Febre Amarela, o que aciona o alerta de cuidado com as pessoas.

A doença possui dois ciclos de transmissão: silvestre (quando há transmissão em área rural ou de floresta) e urbano. Em áreas de mata os principais vetores são os mosquitos haemagogus e sabethes e nas áreas urbanas o vetor do vírus é o aedes aegypti.

A maior frequência da febre amarela ocorre entre os meses de dezembro e maio, período com maior índice de chuvas, quando aumenta a proliferação do vetor, o que coincide ainda com maior atividade agrícola.