Grande Curitiba

Social e Delegacia firmam parceria para atendimento às mulheres vítimas de violência

21 de setembro de 2021 às 15:56
(Foto: Divulgação)

COM ASSESSORIAS – A Secretaria Municipal de Assistência Social firmou na tarde desta segunda-feira (20), mais uma importante parceria. Desta vez, com a Delegacia da Polícia Civil do centro da cidade, que se torna referência no atendimento às mulheres vítimas de violência.

A secretária da Pasta, Elis Lazarotto, acompanhada da diretora do Departamento de Proteção Social Especial, Nayara Lebid e da coordenadora de Políticas de Atenção às mulheres de Colombo, Alessandra Babetto, foi recebida pelo delegado, Herculano Augusto de Abreu. Na oportunidade,agradeceu todo apoio que tem recebido de toda equipe.

“Muitas vezes, quando a mulher não tem um atendimento humanizado e uma escuta qualificada, ela desiste de denunciar. Quero agradecer toda equipe da Delegacia da Sede, pela parceria. Essa integração fortalece nossas ações que têm sido constantes, como as desenvolvidas na Casa da Mulher, onde é oferecido o suporte necessário para que se sintam protegidas e confiantes”, destacou.

Caso você conheça ou seja vítima de violência ou abuso, denuncie. A Delegacia fica localizada na Rua José Cavassim, 191 – Centro. A Secretaria de Assistência Social disponibiliza também um canal 24 horas para registros de denúncias. A Central Disk 41 98827-4038 é um serviço que funciona 24 horas, todos os dias da semana, inclusive aos domingos e feriados.

Casa da Mulher

Referência no Paraná no auxílio às mulheres em situação de violência, a nova Casa da Mulher Colombense celebrou neste mês 06 meses de funcionamento.

O espaço é amplo, ambiente confortável, seguro e acolhedor destinado às mulheres que sofrem algum tipo de violência e não tem para onde irem. No local, encontra apoio psicológico, assistencial, com o amparo necessário e bem-estar.

Segundo a coordenadora Alessandra Babetto, o atendimento é realizado 24 horas, todos os dias da semana. “Hoje esse equipamento contribui para a prevenção e repressão da violência doméstica e familiar. Estamos de braços abertos para acolhê-las e dar o suporte necessário para que retornem à sociedade de cabeça erguida e emponderadas”, finalizou.