Grande Curitiba

Cras doa fios, agulhas e brinquedos para a Rede Feminina de Combate ao Câncer

8 de outubro de 2021 às 16:45
(Foto: Sandra Lima)

COM ASSESSORIAS – O Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Uberaba, que integra a rede de atendimento da Fundação de Ação Social (FAS), doou 50 kits de fios e agulhas de crochê e mais 100 brinquedos para a Rede Feminina de Combate ao Câncer, nesta sexta-feira (8/10). Depois de esterilizados, os fios e agulhas serão encaminhados a voluntários da rede, acompanhantes ou pacientes do Hospital Erasto Gaertner. Os brinquedos serão entregues a crianças internadas.

A ação foi organizada pela equipe do Cras em alusão ao Outubro Rosa, movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama, e também marcar o Dia das Crianças, comemorado na próxima terça-feira (12/10).

“Essa é uma forma de estarmos na comunidade atendida pelo nosso Cras, além de divulgar o trabalho que realizamos para atender pessoas e famílias em situação de vulnerabilidade social”, explicou a coordenadora do Cras Uberaba, Débora Brandão.

A presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer, Angela Hilgemberg Zanlorenzi, agradeceu a doação e falou que os materiais são importantes, principalmente para pacientes e acompanhantes que têm habilidades manuais e podem se manter ocupados enquanto aguardam procedimentos médicos.

Os brinquedos entregues à Rede Feminina foram doados por Paulo Renato Bruschi e sua mulher, Juliane Bruschi, que inicialmente fariam a distribuição em alguma comunidade, mas mudaram de ideia depois de saber da ação do Cras.

Além da coordenadora Débora Brandão, participaram da entrega dos materiais a assistente social Ana Rita Weinert Bento e as educadoras sociais Marina Stival e Dayane Andrade.

Voluntariado

A Rede Feminina de Combate ao Câncer do Complexo de Saúde Erasto Gaertner atende diariamente as necessidades de mais de 1.000 pacientes oncológicos do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Para assistir com humanismo e acolher a todos, a Rede Feminina precisa de apoio da sociedade organizada e do direcionamento das doações, de acordo com as reais necessidades e demandas diárias que também são monitoradas pelos setores específicos dentro das regras hospitalares”, explicou Angela.