Grande Curitiba

Música clássica com sotaque paranaense da Rua da Cidadania do Boa Vista

10 de novembro de 2021 às 11:00
(Foto: Luiz Costa/SMCS)

COM ASSESSORIAS – A música clássica de qualidade com sotaque paranaense mudou a rotina da Rua da Cidadania do Boa Vista, na tarde de segunda-feira (9/11).

Foi a sexta apresentação grátis de música clássica nas regionais da cidade, com o projeto Composições Paranaenses: a Vida Pede Passagem, formado pelo quarteto de cordas Ricardo Molter e Vitor Andrade (violino), Daniel Mendes (viola), Samuel Pessatti (violoncelo) e a soprano Luciana Melamed.

Os integrantes são músicos da Camerata Antiqua de Curitiba e da Orquestra Sinfônica do Paraná. O projeto foi concebido com apoio do Programa de Incentivo à Cultura, da Fundação Cultural de Curitiba (FCC) e Prefeitura de Curitiba, com o apoio do Colégio Positivo.

No auditório da Rua da Cidadania, os músicos executaram trabalhos dos compositores paranaenses Alceo Bocchinho (1918-2013), Bento Mossurunga (1879-1970) e Henrique de Curitiba (1934-2008).

A plateia de cerca de 50 pessoas era formada por estudantes da 8ª série do Colégio Estadual Ermelino de Leão, que fica no Boa Vista, além de servidores da regional.

Levar a música para os bairros

O violinista Vitor Andrade, que faz a direção artística do projeto, defende que é preciso cada vez mais levar a música erudita para as plateias dos bairros.

“A música erudita está sempre na área central da cidade, por isso surgiu esta proposta de descentralizar as ações culturais, levar a música clássica para os bairros, para a periferia com objetivo de formar novas plateias”, explicou o músico.

Andrade, que toca violino há 20 anos, contou que seu primeiro contato com a música também não foi em um concerto, mas através de um presente que ganhou da mãe.

“Quando era criança eu ganhei um livro que tinha um CD com músicas de Vivaldi. Eu fiquei encantado com o som e fazia de conta que tocava violino. Isso me levou para as aulas com o instrumento, o que foi o início da minha formação de músico”, contou.

Despertando para a música

E essa mesma sementinha que revelou o talento em Vitor pode germinar também nas pessoas que prestigiam a apresentação.

A estudante Heloísa Mesquita, 14 anos, disse que gostou muito do que viu. “Foi a primeira vez que vi uma apresentação de música clássica e gostei muito”, disse a garota, que pretende buscar mais informações sobre a Camerata Antiqua de Curitiba.

“Muito legal! Gostei especialmente das duas últimas músicas”, disse o também estudante Marcos Antônio Prima Júnior, 13 anos. Ele se referiu ao trabalho do compositor Zbigniew Henrique Morozowicz, ou Henrique de Curitiba, como gostava de ser chamado.

É este gostinho de “quero mais” que os músicos do projeto querem despertar por onde passar.

Mais sete apresentações

O projeto Composições Paranaenses: A Vida Pede Passagem entra na reta final e tem quatro apresentações programadas no restante das regionais.

Mas o grupo fará três apresentações extras em asilos de Curitiba, para levar um pouco da beleza e da alegria dos compositores paranaenses para os idosos.

“São pessoas que vivem confinadas, não conseguem mais sair e por isso vamos levar a música até elas”, explicou Vitor Andrade. Será a vez de a emoção pedir passagem.

Veja onde serão as próximas apresentações:

11/11 – Rua da Cidadania do Bairro Novo, às 15h

16/11 – Rua da Cidadania do Tatuquara, às 15h. (Aniversário da Regional)

23/11 – Rua da Cidadania do CIC, às 16h

30/11 – Oratório de Bach (Bosque Alemão), às 16h