Grande Curitiba

Pai revela que filha se mudou para trabalhar, mas caiu no mundo das drogas e acabou decapitada

Ana Carla foi encontrada morta decapitada e com o corpo carbonizado no dia 13 de outubro, por um morador do bairro Parolin, em Curitiba
22 de novembro de 2021 às 14:54
(Foto: Reprodução)

Carlos Menezes, o pai de Ana Carla Dallacosta de Menezes – a jovem de 21 anos que foi decapitada e carbonizada no bairro Parolin, em Curitiba – relevou que a filha veio para a capital paranaense para trabalhar, mas acabou começando a usar drogas. Ana Carla morava em Apucarana com a família, no entanto, ao se mudar, se distanciou e fez escolhas perigosas.

Abalado, Carlos contou que toda a família está sofrendo muito com a perda e lamentou o envolvimento da filha com o mundo das drogas. “Deus é testemunha, e a minha filha, onde estiver, que eu sempre lutei, ninguém sabe a dor que é um filho se envolver com essa maldita droga”, relatou.

Ana Carla foi encontrada morta decapitada e com o corpo carbonizado no dia 13 de outubro, por um morador do bairro Parolin. O exame do Instituto Médico Legal (IML) conseguiu identificar a vítima através da arcada dentária e confirmou que se tratava da jovem.

O delegado responsável pelo caso, Tito Barichello, afirmou que uma das linhas de investigação é justamente o envolvimento com pessoas ligadas ao tráfico de entorpecentes.

“Ela estava envolvida com drogas, como usuária de drogas aqui em Curitiba, é um local ali de uso, consumo e venda de drogas, então acreditamos como uma das linhas de investigação – porque nunca deixamos de lado hipótese nenhuma – que tenham sido discussões a respeito de um relacionamento afetivo que ela tinha ali vinculado ao tráfico de drogas”, disse Barichello.

O pai da jovem contou que o corpo dela deverá ser sepultado em Apucarana, próximo da família.

Fonte: Ricmais

https://ricmais.com.br/seguranca/assassinatos/pai-revela-que-filha-se-mudou-para-trabalhar-mas-caiu-no-mundo-das-drogas-e-acabou-decapitada/