Grande Curitiba

Dez obras que ajudaram a desatar nós no trânsito da cidade

24 de maio de 2022 às 12:11
(Foto: Daniel Castellano / SMCS)

COM ASSESSORIAS – Nos últimos seis anos, a Prefeitura de Curitiba entregou importantes obras que asseguraram melhoria da mobilidade urbana e benefício para o transporte coletivo. São trincheiras, alças de acesso em viadutos, novos traçados em vias e a requalificação de importantes ruas e avenidas que contribuíram para diminuir os conflitos viários.

As intervenções promoveram impactos positivos como maior segurança de condutores e pedestres, redução nos tempos de deslocamentos e ampliação das linhas de ônibus. Foram coordenadas pela Secretaria Municipal de Obras Públicas que, paralelamente às importantes intervenções, também conduz amplo programa de recuperação da malha viária da cidade, com mais de 650 km de asfalto novo já implantado em bairros das dez administrações regionais.

As ações de pavimentação priorizaram ruas com unidades de saúde e escolas; as que servem de ligação entre bairros e estão no itinerário do transporte coletivo; e, ainda, aquelas escolhidas pela população pelo 156 e programa Fala Curitiba. “O maior volume de obras acontece em bairros afastados do Centro”, diz o secretário Municipal de Obras Públicas, Rodrigo Araújo Rodrigues.

Para garantir intervenções públicas de grande porte e fazer a cidade avançar foram realizados investimentos com recursos próprios do município, investimentos em parceria com os governos federal, do Estado do Paraná e organismos externos. Obras que estavam paradas pela gestão anterior à do prefeito Rafael Greca foram retomadas e finalizadas e novos projetos foram elaborados e executados.

Dez obras que colaboraram para desatar nós no trânsito

Linha Verde Norte, trechos 3.1 e 3.2

Duas importantes etapas da Linha Verde, corredor viário que liga Curitiba de Norte a Sul, foram concluídas e estão operantes.

Em julho de 2021, com a conclusão do trecho 3.1, que compreende 2,46 quilômetros de obras executadas – desde o viaduto da Avenida Victor Ferreira do Amaral, no Tarumã, até as proximidades do Hospital Vita, no Bairro Alto – começaram a operar as estações-tubo Vila Olímpica e Fagundes Varela. Com isso a cidade passou a contar com uma relevante linha de ônibus, o Ligeirão Fagundes Varela/Pinheirinho, com capacidade para atender até oito mil pessoas por dia. Com o novo Ligeirão foi possível fazer a integração de 18 linhas pelas estações-tubo, sem contar as conexões que podem ser feitas no Terminal do Pinheirinho, o maior da cidade, por onde circulam 46 linhas, sendo quatro metropolitanas.

Investimento no Lote 3.1 – Para conclusão do lote foram investidos R$ 58,6 milhões, parte de recursos próprios do município e parte prevenientes da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD)

Oito meses depois, em março deste ano, a Prefeitura concluiu e colocou em funcionamento a trincheira que liga a Rua Fúlvio José Alice, no Bairro Alto, à Rua Amazonas de Souza Azevedo, no Bacacheri, construída sob a Linha Verde. A estrutura viária formou o binário com a Rua Gustavo Rattman/José Zgoda, ampliando a ligação entre os bairros, dando maior fluidez ao tráfego e segurança para pedestres, ciclistas e condutores. A trincheira e as obras complementares executadas no entorno (são 2,8 quilômetros de intervenções) compreendem o Lote 3.2 da Linha Verde Norte. Com essa entrega, 85% do eixo da Linha Verde que serve ao transporte coletivo foi concluído.

Investimento do Lote 3.2 – R$ 38 milhões, sendo parte dos recursos próprios do município e parte provenientes da AFD (Agência Francesa de Desenvolvimento)

“Fiquei surpreso com a agilidade que a trincheira trouxe ao trânsito que agora flui muito melhor”, conta Gilberto Carlos Muniz, 53 anos, que trabalha na Associação Beneficente Curitibana (ABC Vida) sediada na Igreja Batista do Bacacheri, na Rua Amazonas de Souza Azevedo, na esquina da trincheira.

Também comemora a obra realizada, Macaulay Kelvin, 25 anos, funcionário da empresa de forros e divisórias DiviSystem, na Rua Fúlvio José Alice. “Acabaram os congestionamentos e as melhorias no acesso à empresa agora permitem o recebimento mais ágil de materiais e nossos clientes conseguem acessar a sede mais facilmente”, disse Muniz.

Trincheira da Rua General Mário Tourinho

A trincheira construída onde a via cruza com a Avenida Nossa Senhora Aparecida, no bairro Seminário, foi entregue à população em junho do ano passado. A estrutura eliminou interferências de tráfego num trecho por onde chegam a circular 62 mil veículos por dia e que serve de itinerário para dez linhas de ônibus. A obra é considerada a primeira grande intervenção do Novo Inter 2.

A trincheira diminui os conflitos viários, com impacto positivo no tempo de deslocamento na região. Dez linhas de ônibus da capital foram diretamente beneficiadas, com ganho de tempo de viagem de cerca de cinco minutos por trajeto, de acordo com estimativa da Urbanização de Curitiba (Urbs).

Investimento de aproximadamente R$ 15 milhões com recursos do Orçamento Geral da União (OGU) enquadrados pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade Urbana e repassados ao Município pela Caixa Econômica Federal (CEF).

Novo traçado na região da Cruz do Pilarzinho

Obras de correção geométrica promoveram a melhoria viária, maior segurança dos pedestres e integração temporal do transporte público na região conhecida como Cruz do Pilarzinho. Com as intervenções realizadas nas ruas Hugo Simas, Raposo Tavares e Amauri Lange Silvério e seus arredores, o bairro tornou-se ponto de conexão com vários terminais permitindo a passageiros de sete linhas de ônibus a troca de itinerário sem pagar uma nova passagem, usando o cartão-transporte entre o Pilarzinho e vários terminais, como Cabral, Campina do Siqueira, Santa Felicidade e Santa Cândida.A integração beneficia passageiros de sete linhas de ônibus que transportam, juntas, 22 mil pessoas por dia – cerca de 543 mil por mês.

Foram quase 800 metros de obras executados em seis ruas que foram alargadas, pavimentadas e sinalizadas, receberam novas calçadas, infraestrutura de drenagem e iluminação. A região recebeu um conjunto de três pontos cobertos de ônibus que servem à integração temporal do transporte. As obras foram concluídas em abril deste ano, dois meses antes do prazo previsto.

Investimento de R$ 4.1 milhão com recursos provenientes do programa de Financiamento para Infraestrutura e Saneamento (Finisa), da Caixa Econômica Federal

Correção geométrica da Rua Eduardo Sprada

A rua ganhou um novo traçado no trecho de 250 metros a partir do cruzamento com a Avenida Juscelino Kubitschek de Oliveira para desatar um antigo nó de trânsito que por mais de três décadas causou problemas aos motoristas na região CIC. O serviço corrigiu o traçado da rua, eliminando a obrigatoriedade de os motoristas terem que fazer duas curvas fechadas, no encontro com a Juscelino Kubitschek e antes de passar sob a rodovia BR-376, para seguirem seu itinerário pela via.

A intervenção compreendeu, além do novo traçado, requalificação do pavimento em asfalto, implantação de sistema de drenagem, meio-fio, construção de calçadas, rampas de acessibilidade, ciclovia, iluminação pública e sinalização com quatro semáforos.

Investimento: R$ 1,7 milhão com recursos provenientes do programa de Financiamento para Infraestrutura e Saneamento (Finisa), da Caixa Econômica Federal.

Transformação da Avenida Manoel Ribas

Principal artéria de Santa Felicidade e importante ligação entre o município de Campo Magro e Curitiba, a Avenida Manoel Ribas que cruza os bairros Mercês, Cascatinha, Santa Felicidade e Butiatuvinha passou por uma ampla transformação, foi revitalizada, ficou mais larga e segura para condutores de veículos e pedestres.

A via ganhou novo pavimento, calçadas com rampas de acesso para cadeirantes, ciclovia, além de obras de drenagem e paisagismo, plantio de espécies nativas de árvores.

A revitalização aconteceu no trecho que vai desde o Contorno Norte (PR-418) até a Rua Madre Clélia Merloni e beneficiou moradores que vivem nos 12 bairros da Regional Santa Felicidade, além de melhorar a ligação com Campo Magro e com as demais cidades vizinhas pelo acesso do Contorno Norte. A Avenida Manoel Ribas é roteiro de nove linhas de ônibus, entre alimentadores e metropolitanos.

Investimento: R$ 21 milhões. Recursos provenientes de parceria da Prefeitura com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), como parte do Programa Integrado de Desenvolvimento Social e Urbano, o Pró-Cidades. Deste total, R$ 13 milhões são de recursos próprios do município e R$ 7 milhões do BID.

Alças do Viaduto Pompéia

Após ficar quatro anos sem uso, o Viaduto Pompéia, no Tatuquara, foi concluído e colocado em funcionamento em 2020, após construção das alças de acesso. O viaduto havia sido construído em 2015, porém sem as alças necessárias para o acesso dos veículos. A Prefeitura retomou a obra em 2018, finalizou e entregou a estrutura em outubro de 2019, depois de também ter revitalizado ruas no entorno.

A construção das alças completou a estrutura viária que reduziu congestionamentos e acidentes na região. O acesso do bairro à pista da BR-116 no sentido Curitiba-Fazenda Rio Grande ganhou forma. As obras envolveram a requalificação das ruas Francisco Xavier, José Zanoncini, Francisca Ferreira da Luz e uma nova alça de acesso que permite o retorno da Francisco Xavier de Oliveira para a Rua Francisco Warcheski, em direção ao bairro.

Investimento de R$ 5 milhões com recursos próprios do município.

Alças de acesso à trincheira da Ceasa

Outra importante obra da regional Tatuquara, que estava inacabada pela gestão anterior à do prefeito Rafael Greca, foi concluída para promover o acesso à trincheira da Ceasa. Para melhorar o acesso e a mobilidade na região sul da cidade a Prefeitura de Curitiba construiu as obras de acesso à Trincheira da Ceasa (Centrais de Abastecimento do Paraná). A estrutura faz a interligação dos bairros CIC, Tatuquara e Umbará por baixo da BR-116. As alças da Ceasa agora permitem a ligação das ruas Hasdrubal Bellegard com a Dílson Luís. O acesso beneficia diretamente cerca de 275 mil habitantes dos bairros CIC, Tatuquara e Umbará, além dos milhares de motoristas que circulam pela BR-116 e acessam a Ceasa todos os dias.

Investimento de R$ 13 milhões com recursos próprios do município.

Alargamento e novo pavimento na Marginal da BR-277

O trânsito ficou mais organizado e seguro na região da trincheira da Avenida Jornalista Aderbal Gaertner Stresser, ligação dos bairros Uberaba e Cajuru, a partir das obras de pavimentação e alargamento da marginal da BR-277, nas proximidades da fábrica da Coca Cola. As obras garantiram asfalto para quase 800 metros da marginal beneficiando 183,9 mil moradores dos bairros Cajuru e Uberaba, além dos motoristas e trabalhadores que circulam pela região.

Além da pavimentação em frente à fábrica foi feita a fresagem do antigo asfalto da marginal, logo após a trincheira, nas proximidades da subestação Uberaba da Copel, implantadas calçadas e nova sinalização. As obras foram retomadas no início de janeiro de 2017 e concluídas em junho do mesmo ano, depois de ficarem paradas desde junho de 2016.

Investimento: R$ 3 milhões com recursos próprios do município

Nova Raul Pompeia

Importante ligação entre CIC e Fazendinha, a Raul Pompéia foi revitalizada no trecho entre a Avenida Juscelino Kubitschek de Oliveira e a ponte sobre o Rio Barigui (1,9 quilômetro). Recebeu pavimentação, revitalização de calçadas, sinalização, alargamento, drenagem, iluminação, arborização e construção de rampas de acessibilidade. As intervenções deixaram o trânsito mais organizado.

Investimento de R$ 8 milhões financiados pelo governo estadual por meio do Fundo de Desenvolvimento Urbano (FDU)

Revitalização da Rua Governador Agamenon Magalhães

Foram concluídas em 2017, as obras de revitalização e prolongamento da Rua Governador Agamenon Magalhães, entre os bairros Capão da Imbuia e Tarumã. A obra complementou o binário Agamenon Magalhães/Roberto Cichon e criou nova ligação entre o Jardim Botânico e o Tarumã., projetado para a Copa do Mundo de 2014. A obra melhorou o fluxo de veículos na região.

Investimento: R$ 6 milhões financiados pelo governo estadual por meio do Fundo de Desenvolvimento Urbano (FDU)