Grande Curitiba

Bolinha para público cego é desenvolvida no Farol do Saber e Inovação

27 de maio de 2022 às 15:42
(Foto: Hully Paiva/SMCS)

COM ASSESSORIAS – Resolver problemas e questões do dia a dia pensando “fora da caixa”. É assim que a inovação acontece na prática na rede municipal de ensino de Curitiba.

Um exemplo é a bolinha para cegos usada no golf-7, esporte criado em 2005 pela pedagoga paranaense Fátima Alves da Cruz e que já rendeu medalhas para a rede municipal curitibana. A atividade é baseada no jogo do golfe e adaptada ao perfil dos estudantes da educação especial.

A bolinha tem miçangas no interior para que os deficientes visuais possam localizá-la pelo barulho. A ideia une criatividade nas áreas da inclusão, da formação profissional e do esporte.

A bolinha foi criada no Farol do Saber e Inovação da Escola Maringá pela professora Franciele Santiago, autora da ideia, em parceria com a professora do espaço maker do local, Juliana Kanopcka Pacheco Alves.

“No Farol Tasso da Silveira fizemos vários modelos e protótipos, com diversos materiais, até encontrar um que fosse ideal, testado no campo para que o público cego pudesse acompanhar os movimentos da bolinha. Começou com um guizo, mas percebemos que as miçangas têm um efeito melhor”, conta Franciele. “Nos testes usamos tanto bolinhas feitas na impressora 3D”, complementa Juliana.

A secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila, destaca que a inovação é um conceito já consolidado na rede, que envolve a comunidade escolar em diversos projetos e ações. Ela lembra que outros exemplos inovadores já saíram dos faróis, como a proteção para sementes de araucária, um skate especial para um estudante com dificuldade de locomoção e até um guindaste hidráulico.

Campo sintético novo

O golf-7 é bem conhecido na rede pública curitibana. Em novembro do ano passado, a Escola Municipal Tomaz Edison de Andrade Vieira (Regional Pinheirinho), que atende estudantes na modalidade de educação especial, ganhou um campo sintético próprio para a modalidade.

Entre as formações que a Educação oferta aos professores, nas Práticas de Movimento, está a do golf-7.

Veredas Formativas

Outra vertente envolvida no projeto da bolinha para cegos é o Veredas Formativas, o programa de formação profissional da Secretaria Municipal da Educação.

Desde 2018, quando foi lançado, o Veredas impulsiona as ações voltadas ao desenvolvimento profissional na rede municipal de ensino. O programa permite que cada profissional escolha como fazer a formação continuada.

Foi formulado a partir de uma ampla pesquisa, realizada em 2017 com os servidores, para levantar o interesse e as necessidades em relação aos processos de formação profissional.