Grande Curitiba

Câmara de Curitiba reempossa Ana Júlia na próxima terça-feira

Primeira suplente do PT, ela será a vereadora mais jovem da 18ª legislatura
18 de agosto de 2022 às 15:07
(Foto: CMC)

A Câmara Municipal de Curitiba (CMC) convocou a primeira suplente do PT, Ana Júlia Ribeiro, para assumir a cadeira vaga devido à cassação do mandato de Renato Freitas, por decisão da maioria do plenário, no dia 5 de agosto. A estudante universitária será empossada na sessão plenária da próxima terça-feira (23), no Palácio Rio Branco.

Com Ana Júlia, a bancada feminina fica com nove vereadoras e será a maior da história da Câmara de Curitiba. Aos 22 anos de idade, ela será a vereadora mais nova da 18ª legislatura. Também é a segunda mulher mais jovem a assumir uma cadeira na Casa: parlamentar da 1ª legislatura, Maria Olympia Carneiro Mochel tinha 21 anos.

Ana Júlia chegou a ser empossada em 4 julho. No dia 07, entretanto, em função de decisão judicial, Freitas retomou o mandato e Ana Júlia retornou à suplência (entenda o caso). Após novas sessões especiais, nos dias 4 e 5 de agosto, o plenário confirmou a cassação do mandato de Freitas por 23 a 7 votos, além de uma abstenção. A resolução 5/2022, que decretou a perda do mandato, foi publicada no Diário Oficial do Município (DOM) de 10 de agosto. No dia 11, ato da Mesa Diretora declarou vaga uma das 38 cadeiras de Curitiba.

Estudante universitária, Ana Júlia cursa Direito na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e Filosofia na Universidade Federal do Paraná (UFPR). Ela foi uma das lideranças estudantis secundaristas durante as ocupações dos colégios estaduais, em 2016, em oposição à Reforma do Ensino Médio e à Emenda Constitucional 95/2016 (saiba mais).

Confira mais opções de imagens no Flickr da CMC. A sessão plenária começa às 9 horas e a solenidade de posse ocorrerá entre o espaço do pequeno expediente e a votação dos projetos de lei. A transmissão ao vivo poderá ser acompanhada pelos canais do Legislativo de Curitiba no YouTube, no Facebook e no Twitter.

Restrições eleitorais

Em respeito à legislação eleitoral, a comunicação institucional da CMC será controlada editorialmente até o dia 2 de outubro. Nesse período, não serão divulgadas informações que possam caracterizar uso promocional de candidato, fotografias individuais dos parlamentares e declarações relacionadas a partidos políticos, entre outros cuidados. As referências nominais serão reduzidas ao mínimo razoável, de forma a evitar somente a descaracterização do debate legislativo.

Ainda que a Câmara de Curitiba já respeite o princípio constitucional da impessoalidade, há dez anos, na sua divulgação do Poder Legislativo, publicando somente as notícias dos fatos com vínculo institucional e com interesse público, esses cuidados são redobrados durante o período eleitoral. A cobertura jornalística dos atos do Legislativo será mantida, sem interrupção dos serviços de utilidade pública e de transparência pública, porém com condicionantes.

Fonte: Câmara Municipal de Curitiba