Grande Curitiba

Secretaria de Saúde capacita médicos e enfermeiros para o Manejo Clínico do paciente com HIV

13 de abril de 2021 às 16:40
(Foto: Divulgação/PMFRG)

COM ASSESSORIAS – A equipe de médicos e enfermeiros da rede pública de saúde de Fazenda Rio Grande, recebeu na última sexta-feira (09), uma capacitação voltada ao Manejo do paciente portador de HIV.

A capacitação foi realizada via web e ministrada pelo diretor técnico da Secretaria de Saúde Dr. Luíz Felipe Bruschi com o apoio da Dra. Carolina Nascimento e equipe de Vigilância em Saúde e abordou o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas na Atenção Primária.

Até o momento, os pacientes portadores de HIV, moradores no município, eram referenciados para ao Hospital Oswaldo Cruz, mas devido à situação de pandemia, o número de consultas no sistema de referência foi diminuído. A Secretaria de Saúde, promoveu então, a capacitação da equipe municipal, para que os médicos e enfermeiros estejam preparados para manejar estes pacientes.

“Eles serão referenciados aos níveis superiores de complexidade, somente quando os problemas identificados, demandam resolução acima do domínio da Atenção Básica”, explicou Luiz Felipe, afirmando que, o diagnóstico precoce e a adesão ao correto tratamento, proporciona ao paciente, uma vida saudável.

“A expectativa de vida hoje de uma pessoa que tem um diagnóstico precoce e inicia o tratamento imediatamente e mantém a carga viral indetectável é semelhante à de uma pessoa com a mesma faixa etária e que não tenha HIV”, afirmou o médico.

O secretário de Saúde, Dr. Anderson de Rezende, declarou ser imprescindível que os profissionais da rede pública de saúde do município estejam capacitados para acolher e tratar este paciente. “O diagnóstico precoce, o manejo correto e a adesão do paciente ao tratamento, são fundamentais para uma boa expectativa de vida ao paciente com HIV, que poderá manter a carga viral indetectável por toda a vida, evidenciando que, carga viral é a quantidade de vírus que existe no sangue de uma pessoa. Como o HIV é um vírus que afeta o sistema imunológico, que é responsável por defender o organismo de doenças, quanto maior a carga viral (quantidade de vírus no corpo) maior será o comprometimento desse sistema, e quando uma pessoa vivendo com HIV segue o tratamento com os medicamentos antirretrovirais, a carga viral torna-se tão baixa que não é detectada pelo exame de carga viral,” elucidou o secretário.

A Diretora de Vigilância em Saúde, Nelcelí Garcia, explicou que o Protocolo Clínicos e Diretrizes Terapêuticas (PCDT), apresentado na ocasião, têm o objetivo de estabelecer claramente os critérios de diagnóstico da doença, o algoritmo de tratamento com as respectivas doses adequadas e os mecanismos para o monitoramento clínico em relação à efetividade do tratamento e a supervisão de possíveis efeitos adversos, observando, ética e tecnicamente, a prescrição médica. Segundo ela, o PCDT também propõe mecanismos para a garantia da prescrição segura e eficaz para um tratamento bem sucedido.

A coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Alexsandra Bispo, colocou-se a disposição como apoio à equipe de Atenção Primária, para intervenções que necessárias.