Grande Curitiba

Conheça a história do cachorrinho Chernobyl e ajude a combater os maus-tratos aos animais

Neste mês é celebrada a campanha Abril Laranja, que incentiva a conscientização e a luta contra casos de maus-tratos aos animais
15 de abril de 2021 às 16:48
(Foto: Carlos Costa/CMC)

COM ASSESSORIAS – Esse é pequeno o Chernobyl. Um cãozinho de aproximadamente quatro anos de idade da raça Shih Tzu. Quem vê hoje a sua beleza não imagina a triste história que viveu.

Em outubro de 2019, o cão foi encontrado abandonado pela equipe da Divisão de Bem Estar Animal, da Secretaria de Meio Ambiente de Pinhais, em uma rua do bairro Vargem Grande. A situação era preocupante, ele estava debilitado, bastante magro, com sarna em várias partes do corpo, falhas no pêlo e uma pata quebrada.

O caso exigia atendimento imediato e ele foi encaminhado para uma clínica, onde passou por uma cirurgia, sendo necessária a colocação de um pino na pata, além disso, foi realizada a castração. O cão ficou em um lar temporário recebendo todos os cuidados, medicamentos e vacinação.

Depois de um período de recuperação, foi encaminhado duas vezes para adoção, entretanto, foi devolvido pelas pessoas interessadas em adotá-lo, pois não se adaptou às casas. A solução foi retornar ao lar temporário, e segundo a dona do local, Amália Alves da Silva, como via que ele era extremamente carinhoso com ela, o adotou e o batizou com o nome de Chernobyl. “De toda essa história tenho uma certeza, não fui eu quem o adotou, mas ele que me escolheu como sua nova tutora”, relata Amália.

Essa história teve um final feliz, só que a maioria não tem o mesmo desfecho. Por isso, é necessário ter ciência: abandonar animais é classificado pela lei como maus-tratos e no Brasil, o crime está previsto na lei nº 9605/98. Quem for condenado pode pegar uma pena que vai de 2 a 5 anos de prisão, inclusive pagando multa. Além de animais domésticos, como cães e gatos, a lei protege também animais silvestres e domesticados.

Em razão deste triste problema, em 2006, foi criada pela Sociedade Americana para a Prevenção da Crueldade contra Animais, a campanha Abril Laranja.

Segundo explicação da diretora da Divisão de Defesa Animal, da Secretaria de Meio Ambiente de Pinhais, a veterinária Solange Marconcin, são considerados como maus-tratos: abandono, negligência simples e severa, situações de acumuladores de animais, criadores clandestinos, crueldade intencional, rinhas de cães e de galos, tráfico de animais silvestres, abuso sexual de animais, uso de animais em rituais religiosos e uso prejudicial de animais em trabalho, pesquisa, turismo e entretenimento.

As pessoas que desejam contribuir para combater essa situação devem denunciar os casos. “Considerando que a ciência nos permite afirmar que os animais são seres sencientes, capazes de sentir dor, angústia, sofrer fisicamente e psicologicamente, e sendo considerado pelo Direito Animal indivíduos com dignidade própria, sujeitos de uma vida, as pessoas têm obrigação legal de cuidar dos animais e jamais devem se omitir diante de casos de maus-tratos” afirmou Solange.

Denúncias

No município, as denúncias podem ser feitas à Secretaria de Meio Ambiente, pelo telefone (41) 3912-5237 ou pelo e-mail: [email protected] Também existem outros canais em que as pessoas podem denunciar de forma anônima casos de maus-tratos contra animais, como a Delegacia de Meio Ambiente (3251-6200) e o Disque Denúncia pelo telefone 181 ou site www.181.pr.gov.br.