Grande Curitiba

Funcionário de estacionamento furta carro e bate veículo em cidade vizinha no PR

O carro ficou destruído e o cliente agora busca formas de reaver o prejuízo
24 de maio de 2022 às 15:17
(Foto: Divulgação/ RICtv)

O empresário José Paulo Damasceno foi surpreendido ao deixar o carro em um estacionamento em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, e um funcionário da empresa bater o veículo em outra cidade, a cerca de 25 km do local. O carro ficou destruído e o empresário agora busca formas de reaver o prejuízo.

De acordo com o relato do homem, ele deixou o automóvel, um Golf prata, em um estacionamento nas proximidades do aeroporto Afonso Pena no dia 7 de maio. Damasceno viajou de avião à trabalho para Recife e no meio da viagem recebeu uma ligação de um policial militar questionando se ele era o proprietário de um veículo encontrado abandonado em Piraquara, após bater contra um poste.

“Foi horrível. Pior sensação do mundo que você tem é ver o carro todo destruído. Roda traseira quebrada, frente toda destruída, é terrível. Você trabalha, compra um bem, cuida dele e vê dessa maneira”, desabafou o empresário.

Após explicar a situação para os policiais, os agentes foram até o estacionamento indicado pelo empresário e verificaram as imagens de câmeras de segurança. Os vídeos mostraram que um funcionário do estabelecimento retirou a placa do carro e saiu com o veículo durante a noite. O funcionário chegou a ser preso pelo furto do veículo.

“O estacionamento não tinha seguro e o proprietário não possuía bens em seu nome. Ou seja, não possui veículo, não possui imóvel, não possui nada. Eu vou ter que correr atrás deste prejuízo, vou jogar dinheiro fora, vou ter que ajuizar uma ação contra ele, essa ação vai ter custas, e tudo indica que não terei sucesso, porque ele não possui bens no nome”, argumentou.

Além disso, conforme a Prefeitura de São José dos Pinhais, o estacionamento não tem alvará de funcionamento, ou seja, nem poderia estar aberto. A investigação segue na delegacia de Piraquara.

Fonte: RIC Mais

Leia mais clicando AQUI