Grande Curitiba

Teste rápido de hepatite B e C pode ser realizado nas Unidades de Saúde

Doença é grave e silenciosa e acomete cerca de 1 milhão de brasileiros ao ano
15 de julho de 2021 às 17:21
(Foto: Carlos Poly)

COM ASSESSORIAS – Todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS´s) de Araucária disponibilizam aos usuários testes rápidos para detecção das hepatites B e C gratuitamente. Estes testes também podem ser realizados no SOA/CTA (Serviço de Orientação AIDS e Centro de Testagem e Aconselhamento). Basta uma picada no dedo para coletar o sangue e em, no máximo, 30 minutos o resultado fica pronto.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) destaca que a descoberta precoce pode evitar a progressão da doença para formas mais graves como câncer no fígado, cirrose ou tornando-a crônica. “A maioria das pessoas infectadas pelas hepatites virais crônicas desconhece seu diagnóstico por ser uma doença silenciosa e, segundo a Sociedade Brasileira de Hepatologia (SBH),cerca de 1 milhão de brasileiros são acometidos pela doença todos os anos”, pontua Ariane Sossela Zanlorenzi Cardoso, gerente da linha de cuidado das doenças crônicas.

Ariane destaca ainda que estas doenças, apesar de se manifestarem de maneira discreta, podem trazer sérias consequências de saúde. “Não deixe de realizar os exames de rotina para que seja possível identificar essa doença ainda em seu estágio inicial, e receber o tratamento adequado. Procure a UBS mais próxima da sua casa”.

Hepatites Virais

Hepatite é o nome dado a toda inflamação que atinge o fígado, um importante órgão do sistema digestório, que tem um papel principal na desintoxicação do organismo. A hepatite viral é uma doença séria, que acarreta vários problemas de saúde e pode se manifestar de diversas formas na população. São causadas, na maioria das vezes, por uma infecção viral, embora também possam ser acarretadas pelo uso abusivo de substâncias tóxicas (álcool, medicamentos e drogas), doenças genéticas ou autoimunes.

Essa doença pode ser classificada pelos tipos A, B, C, D e E, sendo os três primeiros mais comuns no Brasil.

Hepatite A (VHA)

A transmissão ocorre por meio do contato com pessoas portadoras da doença e pela água ou alimentos que estejam contaminados. O tratamento se dá pelo controle dos sintomas, controle da desidratação e, em casos graves, quando ocorre insuficiência hepática aguda, a hospitalização. Para prevenir a hepatite A é necessária a adequação do saneamento básico, hábitos de higiene, assim como o tratamento da água. Existe vacina contra o vírus da Hepatite A, oferecida pelo SUS (Sistema Único de Saúde) e é indicada para crianças de 1 ano a menores de 2 anos.

Hepatite B (HBV)

A transmissão ocorre por meio de fluidos corporais (sangue, secreções, entre outros). Também ocorre através de objetos de uso pessoal infectados, relações sexuais sem proteção, contato com objetos perfurantes com a presença do agente causador, entre outras situações.

Entre os sintomas estão: ictericia, febre, enjoo, urina escura, fezes claras, dores no corpo, entre outros. O tratamento é realizado com medicamentos adequados para evitar a complicação do quadro, como a cirrose, por exemplo. É suspenso o consumo de álcool.

A prevenção da Hepatite B se dá com o uso de preservativos durante as relações sexuais. É preciso evitar o compartilhamento de itens de uso pessoal (escova de dentes, alicate de unha, lâmina de barbear, entre outros), assim como se certificar de que os objetos perfurantes estão esterilizados.

A doença também tem vacina disponível no SUS e contempla o calendário vacinal das crianças e indicada para pessoas que estão vulneráveis ao contato com o vírus.

Hepatite C (HBV)

A transmissão ocorre de forma parecida com a do vírus e os sintomas são semelhantes aos da hepatite B. A doença pode evoluir para cirrose hepática ou câncer de fígado. O tratamento é realizado com antivirais, mas cada paciente deve ser devidamente analisado para que o profissional consiga indicar a terapia mais adequada.

Ainda não existe vacina contra a doença, mas é possível preveni-la evitando o contato sem proteção com pessoas e objetos que podem estar contaminados.

Hepatite D (VHD) com (VHB)

A transmissão se assemelha à de tipo B. A infecção parte da associação do vírus da Hepatite D (VHD) com o vírus da Hepatite B (VHB), podendo haver contaminação simultânea ou não. Por isso, as formas de transmissão são as mesmas. Os sintomas também os mesmos da Hepatite B. O tratamento envolve uma medicação adequada, repouso, suspensão do consumo de bebidas alcoólicas e alimentação balanceada.

Não ter contato com objetos contaminados ou com pessoas com suspeita de infecção são as formas de prevenção. Além disso, outras medidas de proteção devem ser aplicadas como: vacina contra o vírus VHB, uso de preservativos durante as relações sexuais, evitar compartilhar objetos pessoais, pré-natal para mulheres gestantes.

Hepatite E

A transmissão é rara no Brasil, sendo mais comum em países dos continentes africano e asiático. A sua transmissão é semelhante à de tipo A, ou seja, por meio fecal-oral.

Os principais sintomas são febre, dores no corpo, fadiga, enjoos, icterícia e mudança na cor da urina (escurecimento) e das fezes (clareamento). Não existe um tratamento específico. Por isso, é recomendada a suspensão do uso de bebidas alcoólicas, dieta com poucos alimentos gordurosos e repouso. Para prevenção é necessário um saneamento básico adequado, tratamento de esgoto e de água, hábitos de higiene constantes.